Arquivo de setembro, 2008

Fechada e levantada representa força, poder, opinião. Suave como uma bailarina, ela desliza, ela valseia, ela dança, ela medica as chagas, ela enxuga as lágrimas alheias e também as suas escondendo-as por vezes dentro da vergonha da mais profunda solidão da total incapacidade de amar. Mas também com as mãos nós atiramos o beijo, uma pedra, uma flor, uma granada, uma esmola, uma bomba. Com as mãos o agricultor semeia e o anarquista vem e incendeia. Com as mãos, nós construímos o salva-vidas dos canhões, os bálsamos, os instrumentos de tortura, os venenos, os remédios, a arma que fere e o bisturi que salva. Com as mãos o herói impunha a espada e o carrasco acorda. Com as mãos nós tapamos a vista para não ver e é justamente com elas que protegemos a vista para ver melhor. Os olhos dos cegos são as mãos, os mudos falam com as mãos. As mãos na agulheta do submarino leva o homem para o fundo do mar com os peixes e no volante da aeronave atirou-o para o ar com os pássaros. Jesus abençoava com as mãos. O homem para pedir a criatura amada em casamento pede a mão. Agora com um aperto de mãos pode ser o maior pacto de amizade por uma vida inteira. E nos dois extremos da vida quando nascemos para o mundo e quando partimos para sempre ainda são as mãos que prevalecem porque quando nascemos para nos levar a carícia do primeiro beijo são as mãos maternas que nos agasalham e acariciam o corpo pequenininho. E no fim da vida quando os olhos fecham, o corpo gela e os sentidos desaparecem, ainda são as mãos brancas de cera que continuam na morte as funções da vida e a imagem consoladora do Nazareno pregado na cruz vai conosco pra debaixo da terra e nossas mãos cruzadas no peito e as mãos dos amigos nos conduzem e as mãos do coveiro nos enterram.

Daniela desatinou

Daniela cerrou os dentes e quis dizer “sinto sua falta”, mas sugeriu a si mesmo que não o fizesse. Ela viu chegar a quarta-feira, viu desmanchar bandeiras e brincadeiras cessarem no game-over. Ela não vê toda essa gente, não olha mais para frente. Caminha segurando um ponto de interrogação na cabeça como se fosse uma baiana, daquelas de saia rodada e acarajé. Ela viu morrer alegrias, rasgar fantasias e esquece a falsa vida que leva. Os dias sem sol, debochando da dor, debochando do tempo perdido e além de si mesma.

Daniela desatinou, mas ela ainda está sambando.

[ Adaptação pessoal de “Ela desatinou”, de Chico Buarque de Hollanda ]

Status

Nada flui, nada caminha. Enrosco minha roupa no arame e perco um pouco da nobreza. Gosto quando o dia está meio chuva, meio sol. O trabalho também estava pelo meio: meio matando serviço, meio trabalhando também. Mas nada flui, nada caminha. E tudo muda ao meu redor e eu sinto preguiça de algumas pessoas.

Se eu dissesse o que fiz antes e como costumava ser, caminharia junto com alguém como eu? Se você tivesse toda minha história, conhecesse todo o meu passado. Você iria junto com alguém como eu? Eu fiz coisas antes, consegui minha cota e eu não guiei para canto nenhum. Eu iria junto com alguém como você.

Não importa o que tenha feito, com quem estivesse amarrado. Nós poderíamos caminhar por aí e ver esta noite inteira passar.

E nós não nos importamos como os jovens, falando sobre o estilo jovem. E nem com os velhos, falando sobre o estilo velho também. Não nos importamos com suas faltas, falando sobre o nosso próprio estilo. Tudo o que nos importamos é com conversas: conversando somente eu e você.

Eu posso dizer que está acontecendo algo, as horas estão desaparecendo e todo mundo está partindo. E eu ainda estou com você. Não importa o que façamos e onde nós iremos também, poderíamos ficar por aí e ver essa noite inteira passar.

Tudo o que nos importamos é com conversas: conversando somente eu e você.

O olhar é a janela da alma, assim dizem os filósofos. Ele não tem nome angelical por acaso. O amor existe em alguma parte.

*Young Folks, Peter Bjorn and John & Victoria Bergsman

Música é o combustível da vida. Ótimo. Gosto é aquilo na qual você nunca deverá questionar em uma roda com amigos. Há alguns anos mantenho um perfil musical no site Last.fm, na qual todas as músicas reproduzidas em meu winamp vão para um perfil organizado na web: músicas reproduzidas recentemente, artistas mais ouvidos na semana e artistas e faixas mais ouvidos. Genial, não? O problema é as capturas do scrobble quando você não quer que aquele artista ou aquela música seja capturada e adicionada em sua biblioteca. O que fazer quando, sem querer, deixa escapar uma música dos Backstreet Boys ou Latino em seu perfil? O negócio é colecionar e montar um Top 10 das faixas mais ridículas e comprometedoras da sua playlist. A contradição está dando tão certo que até tem um site sobre as faixas mais deletadas da rede social, entre eles estão Britney Spears, Amy Winehouse, Radiohead e Beatles. Moderem nas saraivadas e vamos à minha lista:

10. A Turma do Balão Mágico – Minha Mãe

Você me viu nascer, crescer e andar
E a cada passo meu cuidava de mim

Lembro do meu antigo trabalho: telemensagem. É isso mesmo, aquela voz bonita no telefone quando você recebe uma telemensagem foi minha. Digo, ela ainda é minha, só que atualmente sem a telemensagem. Preciso dizer porque escutava ela?

09. A-HA – Take On Me

Take me on, I’ll be gone
In a day or two

Musicão dos anos 80, não tenho medo de ouví-la no volume máximo. Isso me lembra aquele clipe estiloso misturando desenho e realidade e a foto medonha de Morten Harket como se estivesse posando para uma revista gay:

08. Keane – A Bad Dream

I wake up, it’s a bad dream, no one on my side
I was fighting but I just feel too tired to be fighting

Eu não tenho nada contra a banda e muito menos com a música, li um comentário que dizia que eles se pareciam com bonecas e que faziam um som ruim. Resolvi tirar minhas próprias conclusões e ouvi o disco Under the Iron Sea e concluí que “A Bad Dream” é a única que se salva. Ok, a música não é ruim.

07. Legião Urbana – Faroeste Caboclo

Logo logo os maluco da cidade souberam da novidade:
“Tem bagulho bom aí!”

Uma história trágica declamada por Renato Russo no auge de sua carreira. Acho uma merda ouvirem Legião Urbana somente pelo fascínio da composição desta música. Legião Urbana não é só “Pais & Filhos”, “Há Tempos” e “Faroeste Caboclo”. Há letras fortes e simbólicas tanto na vida do próprio Renato como para a Legião Urbana. Bem, ouço porque faz parte do melhor disco e hey, that is no way to say goodbye!

06. Lily Allen – Smile

At first when I see you cry,
yeah it makes me smile, yeah it makes me smile

Que ela não canta nada nem é mais novidade. Gosto de garotas nonsense, loosers e com alguma dúvida sobre o sentido da vida. (?)

05. Blink 182 – All Of This

Use me Holly come on and use me
We know where we go

Agradeço pela ausência de Mark. Sempre achei que ele fosse viadinho com aquele jeito delicado de tocar guitarra e jogar playstation de cueca, mas a música tocou bastante naquela época. Culpo o Robert Smith, miserável!

04. Spice Girls – Wannabe

If you wanna be my lover, you gotta get with my friends
Make it last forever, friendship never ends

Elas chegaram, elas foram, elas voltaram e elas foram (de vez!) novamente. Porém, continuo escutando “Wannabe” e lembrando dos pirulitos com figurinhas adesivas, dos clipes ultra modernos e do estilo soft-sexy-bitch de cada uma.

03. In The End – Linkin Park

I tried so hard and got so far
But in the end, It doesn’t even matter

Quem nunca gostou desta música e achou que isso sim era rock and roll? Alguém sabe me dizer se Chester Bennington já fodeu aquela voz?

02. Complicated – Avril Lavigne

Why you have to go and make things so complicated?
I see the way you’re acting like you’re somebody else gets me frustrated
Life’s like this you

Passei um mês sem internet para juntar o dinheiro e comprar Let Go. Hoje sinto vergonha em ter acreditado que um dia existiu esse interesse na minha vida, mas o disco ficou… tá aqui do meu lado, alguém o quer de presente de natal?

01. Nirvana – Smells Like Teen Spirit

With the lights out It’s less dangerous
Here we are now entertain us
I feel stupid and contagious
Here we are now entertain us
A mulatto, an albino, a mosquito, my libido
Yeah! Yay! Yay!

Nirvana está no topo em meu conceito. “Smells Like Teen Spirit” foi considerada a música do século e está no livro 1001 discos para ouvir antes de morrer de Robert Dimery – bem merecido. O negócio é que Nirvana sempre vai ser lembrada como a maior banda Grunge da história do rock e a segunda mais representativa dos anos 90. Tudo isso devido à polêmica de Kurt Cobain e aquelas tags que todos nós estamos cansados de ler: drogas, suicídio e por aí vai.

Ressalto que alguns gostos musicais não existem atualmente, mas isso nem deve ser questionado pelo bem da humanidade e do meu perfil musical. O importante é ouvir aquilo que faz bem para alma e livrar-nos deste preconceito bobo em esconder nossas vergonhas, seja quais forem.

Until we bleed

Segura o atalho, corte o caminho, repique a direção. Vicioso na medida certa, enlouquece-me. Somos duas páginas em branco, mas vejo que no fundo, somos a página um do outro. Não sei se tiro de lá, não sei o que faço, se apago os recados. Não sei ainda. Não sei se corto meu pênis, não sei se transo com uma garota no teto da minha casa. Estou pensando, estou pensando…

Tomei banho no escuro, pensando na vida, e vendo o progresso da humanidade pela fresta da janela.

Se essa rua, se essa rua fosse minha eu mandava parar o trânsito para ver céu desabar. Se essa rua, se essa rua fosse minha eu mandava, eu mandava o sol parar de castigar. Arrumaria os buracos, molharia o fogo das folhas e educação para quem não cantorolou essa cantiga sobre a natureza.

Falta poesia na vida adulta.

Janta

Eu quis te conhecer mas tenho que aceitar
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá
Pode ser cruel a eternidade
Eu ando em frente por sentir vontade

Eu quis te convencer mas chega de insistir
Caberá ao nosso amor o que há de vir
Pode ser a eternidade má
Caminho em frente pra sentir saudade

Paper clips and crayons in my bed
Everybody thinks that i’m sad
I’ll take a ride in melodies and bees and birds
Will hear my words
Will be both us and you and them together
I can forget about myself, trying to be everybody else
I feel allright that we can go away
And please my day
I let you stay with me if you surrender.

Marcelo Camelo

Roberto Buaiz

mais pensamentos aqui.

Olho pelas lacunas, meio de esguelha, há um ano toda a trajetória dela. Todo mundo viu, todo mundo está vendo. Em uma conversa entre amigos, ela é lembrada como a “cantora drogada”. Isso é triste. Tratando-se de dois albúns bem vistos, sabemos que canta muito, vende muito e impressiona sempre. Back to Black é um albúm incontestável. A voz de Amy Winehouse invade o ambiente em qualquer lugar onde suas músicas são tocadas. Tão perceptível e tão bonito. Difícil acreditar que alguém tão forte na música, mostre sua fragilidade através do alcoolismo e uso de drogas. Ora superior, ora solitária – me pergunto agora, até quando vou ouví-la?

Hoje pela manhã recebo a notícia que estaria recitando o “nam-myo-ho-rengue-kyo”, mantra budista da filosofia de Nitiren Daishonin na qual também pratico. O motivo para recitar o cântico foi um vídeo de Tina Turner orando e recitando as palavras. Se realmente é verdade, não sei. As notícias de suas recaídas e melhoras são constantes, mas eu espero que através desse encontro ela possa encontrar um rumo melhor para sua vida. Penso muito, questiono ainda mais – a música de Amy Winehouse transformou-se em um modismo, onde os podres contam mais do que a contribuição do artista para o cenário cultural.

Acreditamos (mesmo que ainda utópico) em um novo albúm com música sobre almôndegas, maravilhosas apresentações e uma vida limpa.

Leia também
Amy Winehouse estaria se convertendo ao budismo
Vamos salvar Amy!