Arquivo para novembro, 2008

Brasa

céu quente,

brisa pára, são. brisa quente. há tanto barulho e nada ao mesmo tempo. o levante! como carvão para ver no que dá, acendo a brasa e, brisa quente.

o levante dos domingos miseráveis: carvão em chamas. brasa brisa.

Anúncios

It’s over

A fase de ensolação acabou. Em breve a chuva ostentará sua beleza para que eu corra e volte a fumar com os cabelos molhados. Só que agora ninguém se importa, nem eu mesmo. Acho que com essa despedida, começo a ver a paisagem pelo pior ângulo.

Empatou, ninguém saiu ganhando.

“Não sei se quero descansar por estar realmente cansada ou se quero descansar para desistir”.
Clarice Lispector

Paro de apostar minhas fichas com facilidade. Minha cota de atenção acaba na melhor cena do filme, eis que perco o final da história quando o roteiro muda e os personagens ganham outra personalidade. O filme sempre reprisa na Sessão da Tarde como um big-flash-back, dando-me uma nova oportunidade de reabilitação. É um longo ciclo truncado, inútil e cansativo.

Não posso me guiar pela sorte do orkut, eu adoraria fazer dessa forma. Optar pelo horóscopo do dia é a mesma coisa, mas eu sou um pisciano que odeia. Contrário ao caráter estipulado pelo João Bidu.

Nesta cena, dou-te o meu ultimato: Há diversos tópicos para não me encaixar em um equilíbrio, dentre eles eu tenho me dedicado e tomado a lição de casa todos os dias para ser alguém melhor. Eu não me mantenho no equilíbrio de alguém, porém, gostaria muito que fosse.

Saco cheio

Não quero ser aquele em que tudo acredita, mas eu sou otimista e quero me sentir satisfeito. Gostaria de saber também o quanto tenho acumulado em nuvens para construir minha estadia daqui alguns anos, porque você sabe, quero estar feliz ao lado de alguém. A pressão disto só ameniza após a chuva, enquanto isso eu seguro as vigas para minha casa não desmoronar. Mas o motivo do desconforto é como eu me sinto agora: eu não danço na frente das pessoas.

Desligado

Eu não tenho “rabo preso” à ninguém, quem dera ter um amor para me amarrar do jeito que deveria ser. Tenho caminhos, mas não sinto tesão por nenhum deles. O que procuro não é daqui, não é feito para mim e não lamberia meus mamilos como se fossem raio laser.

Música fácil

O mundo é feito de boas pessoas e vou insistir novamente no mesmo assunto. A revista Rolling Stone postou uma lista com os “500 Melhores Discos de Todo o Tempo” em novembro de 2003. Até aí tudo ótimo, temos muitas listas espalhadas por aí, mas um mexicano resolveu encarar o gosto alheio e está postando os 500 discos em um site na web (aos poucos, os discos são compartilhados no servidor Rapidshare).

Outra dica é ler o livro do Robert Dimery ou então visitar os sites do Acclaimed Music e Rate Your Music, que tratam das mesmas listas. Agora é aguçar os ouvidos e criar sua opinião sobre os discos mais recomendados de todos os tempos.

Devendo explicações

A falta de assunto e a ausência de comentários tanto neste blog como em minha vida, fez com que o WordPress suspendesse minha conta por uma semana. Considero como um castigo por não postar e não agradar aos amigos blogueiros com os meus (tsc tsc) comentários nos respectivos blogs dos mesmos. Saio nesta história com um amigo, Jose do support@wordpress.com e com minha conta reativada.

Pronto. Taí o motivo do sumiço, cambada. Volto a comentar novamente.
Jose é homem de verdade?